sábado, 18 de fevereiro de 2012

Escrito no Ar para as Cinzas de Whitney Houston


Pensaram que ela era uma cadela!

Quando a encontraram,
morta, numa banheira de hotel,
perceberam que ela tinha três mãos,
das quais duas empregava
para incendiar um corpo solitário,
e uma alma que sempre vivera
mendiga, perseguindo através
do mundo uma invisível flor
que diziam existir
na garganta de uma ave.

Witney Huston


Seus tiranos – e seus fãs -
não sabiam que ela ocultava,
nos abismos de sua memória,
uma outra mão,
que às vezes saía de seu corpo,
e acenava a um ventre

esquecido entre móveis antigos,
ao pé de salmos que continuavam a sonhar
com o regresso de lábios que os tinham beijado,
muitas vezes, no interior
de uma tranquila igreja de Newark.    

Nenhum comentário:

Postar um comentário