quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Anonymmi Quatuor

VOCÊS CONHECEM O ANONYMMI QUATUOR DE PORTO ALEGRE?


(Armindo Trevisan)

Se vocês não o conhecem, informem-se!
O Anonymmi Quatuor é um grupo formado pela soprano Úrsula Collischonn, pelo contralto Letícia Grütmann, pelo tenor Lucas Alves, e pelo barítono Vicente Casanova,  estudantes do Departamento de Música do Instituto de Artes da UFRGS.
O grupo começou a atuar a partir de 2009. Tal como se apresenta, é  de formação mais recente.
Convidado pelo compositor e pianista Dimitri Cervo, fui assistir ao Sarau no Arena, que se realizou na terça-feira pp., dia 30 de novembro, às l8,30 horas.
Fui por respeito e simpatia pelo meu amigo Dimitri, que colaborou comigo numa de minhas conferências – a conferência sobre sobre Polifonia – do ciclo “Pelos Caminhos do Pensamento e da Arte Medieval”, que ministrei no auditório da Livraria Cultura, de março a setembro do corrente ano.
Não fui por convicção íntima.
Concluo disso que vale a pena seguirmos o instinto do coração!
Ele nos faz topar com tesouros, os quais, por vezes, como naquele velho conto árabe, se acham enterrados no pátio de nossa casa.
Que descoberta!
Os rapazes – todos rapazes! – cantam como rouxinóis. Isto é: já que estamos no Brasil, e na primavera, corrijo-me: cantam como os sabiás de Gonçalves Dias da “Canção do Exílio”. Agradeçamos à Natureza que continua a nos prover de tão preciosas vozes!
Prestem atenção, agora, num pormenor: são afinadíssimos!
Vê-se que não poupam esforços para aprimorar o que a Natureza lhes deu. Se vocês tiverem dúvidas a respeito, disponham-se a ir apreciara seus pianíssimos. Não é tudo: esses jovens vão surpreender vocês com um sentido de humor desenvolvido (a escolha das canções renascentistas o mostra).
Falei em canções renascentistas?
Sim, aí está a originalidade desse grupo! Especializaram-se nelas. Alguém poderia perguntar: “Não existem, acaso, canções brasileiras em número e variedade suficiente?” Claro que existem. Mas esses jovens querem cultivar a música erudita, ou como se diz também, a música clássica. E como a preferem,  não deixam por menos: vão bebê-la diretamente nas suas fontes, as do século XV-XVI. Os compositores mais antigos de seu recital foram Josquin Després (1445-1521), Juan del Encina (1469-1529) e Mateo Flecha, El Viejo (1481-1553). Completaram-nos com obras de outros autores, entre os quais duas belíssimas canções religiosas de autoria de Tomás Luis de Victoria e Giovanni Pierluigi da Palestrina.
Que exista em Porto Alegre um grupo assim, que “faz arte sem cachê”, que vai adiante por paixão e teimosia, eis o milagre.
Milagre maior seria vê-los seguirem em frente, e obterem algum subsídio da SEDAC, ou mesmo de mecenas particulares! Por falar nisso: não haverá ninguém no Rio Grande disposto a dar uma mão a esses jovens apaixonados e talentosos?
Alô Televisão da Assembléia Legislativa, alô Televisão Educativa (ou que outro nome tenha)!
Chamem, quanto antes, esses rapazes aos vossos estúdios, dêem-lhes uma, chance de serem ouvidos pelo público. O público gaúcho precisa conhecê-los, precisa estimulá-los! Já temos cantores populares de alto nível, folclóricos ou de outras correntes. Por que não prestigiar, também, cantores que querem guardar uma herança, não apenas gaúcha, mas mundial?
Meus parabéns, gente do Anonymmi Quatuor!
Vocês demonstram que a juventude não só está interessada em carrões, aventuras, talvez drogas, mas que, no meio de vocês, sobeja gente saudável, que pensa noutras coisas, que deseja fruir da arte, promovê-la, e partilhá-la com o maior número possível de pessoas, menos interessadas por uma cultura predominantemente midiática. Gente que sabe que a comida dos restaurantes de grande clientela pode ser saborosa, mas que o é menos saborosa que a comida caseira – e refinada – dos gênios da humanidade, cujas receitas estão ao alcance de quem quiser prová-las...
            (Para maiores informações: www. teatrodearena.com)   

Um comentário:

  1. Como cantor do Anonymmi Quattuor, agradeço essa manifestação, com muita alegria, ainda mais vindo de tão honrada figura da cultura de nosso estado.
    Quem estiver procurando por maiores informações sobre o Anonymmi, pode procurar em nosso blog anonymmi.blogspot.com
    Um grande abraço ao amigo Armindo Trevisan!
    Lucas Alves

    ResponderExcluir